Category Archives: Meditação

A Terra Maravilhosa

Enquanto caminhava na praia as ondas eram enormes e quebravam com força e curvas maravilhosas. Você caminhava contra o vento, e de repente sentiu que não havia nada entre você e o céu, e esta abertura era o paraíso. Estar tão completamente aberto, vulnerável – às montanhas, ao mar, e ao homem – é a própria essência da meditação. Não ter resistência, não ter barreiras interiores a coisa alguma, ser realmente livre, completamente, de todas as ânsias menores, compulsões, e exigências, com todos os seus pequenos conflitos e hipocrisias, e caminhar pela vida de braços abertos. E nessa tarde, caminhando ali naquela areia molhada, com as gaivotas à sua volta, sentiu a extraordinária sensação de liberdade aberta e a grande beleza do amor que não estava em si ou fora de si – mas em todo lugar.

krishnamurti_2

Krishnamurti

All The Marvelous Earth Brockwood Park 3rd Public Talk 6th September 1980

Anúncios

Yoga com histórias!

Aconteceu… na Jing-She, em Famalicão, uma aula de yoga para crianças, dos 7 aos 9 anos. Esta aula esteve incluída nas actividades gratuitas, referentes a um tema, que no passado mês de janeiro foi:”Yoga com Histórias”. Aquelas crianças, muito interessadas e atentas, criaram um ambiente de tranquilidade e de alegria ao mesmo tempo. Foi, para mim, um trabalho gratificante. Obrigada crianças, adorei o que fizemos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Respiração e Pensamentos-Eckhart Tolle

Podemos descobrir o espaço interior criando lacunas no fluxo de pensamentos.

Sem elas, o pensamento torna-se repetitivo, desprovido de inspiração, sem nenhuma centelha criativa – e é assim que ele é para a maioria das pessoas. Não precisamos de nos preocupar com a duração dessas lacunas. Alguns segundos bastam. Aos poucos, elas irão aumentar por si mesmas, sem nenhum esforço da nossa parte. Mais importante do que fazer com que sejam longas é cria-las com frequência para que as nossas actividades diárias e o nosso fluxo de pensamento sejam entremeados por espaços.

Certa ocasião alguém me mostrou a programação anual de uma grande organização espiritual. Quando a examinei, fiquei impressionado pela rica selecção de seminários e palestras interessantes. A pessoa perguntou-me se eu poderia recomendar uma ou duas actividades.

Não sei,não. Todas elas me parecem muito interessantes. Mas eu conheço esta: tome consciência da sua respiração sempre que puder, sempre que se lembrar. Faça isso durante um ano e terá uma experiência transformadora bem mais forte do que a participação em qualquer uma dessas actividades. E é de graça.

Tomar consciência da respiração faz com que a atenção se afaste do pensamento e produz espaço. É uma maneira de gerar consciência. Embora a plenitude da consciência já esteja presente como o não-manifestado, estamos aqui para levar a consciência a essa dimensão.

Tome consciência da sua respiração. Observe a sensação do acto de respirar. Sinta o movimento de entrada e saída do ar ocorrendo no seu corpo. Veja como o peito e o abdomen se expandem e se contraem ligeiramente quando inspira e expira. Basta uma respiração consciente para produzir espaço onde antes havia a sucessão ininterrupta de pensamentos.

Continuar a ler

Meditação – Krishnamurti

“Meditar é estar inocente no tempo”.

moonstoneO homem, para se evadir dos seus conflitos, tem inventado muitas formas de “meditação”. Estas têm por base o desejo, a vontade e a ânsia de conseguir algo, o que implica conflito e uma luta para chegar. Este esforço consciente, deliberado, realiza-se sempre dentro dos limites de uma mente condicionada, e nesta não existe liberdade. Todo o esforço para meditar é contrário à meditação.

A meditação vem com o cessar do pensamento. E só então se revela uma dimensão diferente, que está além do tempo.

                                                                                                                                                                                                                J.Krishnamurti/Março 1979                                                                                                                                                                                                                    

A meditação não é um meio para atingir um fim, não há nenhum fim, não há nenhum chegar; ela é um movimento no tempo e fora do tempo. Qualquer sistema, qualquer método, prende o pensamento ao tempo. A atenção, sem escolha, a cada movimento do pensamento e do sentir, a compreensão dos seus motivos, dos seus mecanismos, permitindo  que o pensamento e o sentir “floresçam”, é o nascer da meditação. Quando o pensamento e o sentir florescem e morrem, a meditação é um movimento além do tempo. Nesse movimento há êxtase; nesse vazio total há amor, e com amor há destruição e criação.

“A meditação é a acção do silêncio”